NOTÍCIAS

< VOLTAR

Pílulas de empreendedorismo a pessoas de todas as idades

Quarta, 10 Outubro 2018 11:28

Como vencer o medo, as incertezas e as dificuldades do mercado? Como se adaptar rápido às mudanças e às novidades e quais direções podem ajustar negócios que, antes do advento das novas tecnologias, eram modelos de sucesso e lucro? Essas são algumas perguntas que o 4º Fórum do Empreendedor da Acic tentou responder na noite de terça-feira, no auditório da entidade. O encontro contou com a participação de cerca de 200 empresários ligados aos 44 núcleos em atividade na associação comercial.

O ponto mais aguardado do evento foi a apresentação de três cases de sucesso, de empresários nucleados que informaram sobre as estratégicas utilizadas para derrotar os receios comuns que assombram e desafiam todos que empreendem no Brasil. A organização convidou para dar depoimentos Luiz Guilherme Rosa, do Conselho do Jovem Empreendedor, Rejane Martins Pires, do Núcleo Acic Mulher e Vanderlei Kichek, do Núcleo Setorial de Informática e Telecomunicações/Iguassu Valey. Cada um teve cerca de 25 minutos para relatar passagens de sua trajetória e de como virou referência no segmento em que atua.

As dúvidas foram por muito tempo companheiras implacáveis do jovem Luiz Guilherme, que sonhava trabalhar com a criação de games. Por várias vezes ele assustou a família e a namorada com projetos que pareciam mirabolantes demais. Mesmo sem falar inglês com fluência, chegou a pensar em trancar a faculdade e mudar para a Califórnia, nos Estados Unidos, onde estão as precursoras das novas tecnologias no mundo e algumas das maiores desenvolvedoras de jogos virtuais do planeta. Com muita conversa e argumentos cada vez mais potentes, o espírito aventureiro do rapaz acabava amainado. Com o tempo, Luiz Guilherme concluiu a faculdade e decidiu buscar emprego. Mas antes de ter a chance de ver a carteira de trabalho assinada, decidiu empreender.

A paixão pelas animações fez com que o jovem, que ainda morava em Toledo, criasse a sua própria agência. Em apenas três anos, inúmeras decisões importantes movimentaram a vida do designer, como sua mudança para Cascavel, sua aproximação da Acic e do associativismo e perceber o nome de sua empresa, a Murog Motion Graphics, tornar-se conhecido e amealhar grandes clientes. A agência de Luiz Guilherme ampliou seu leque de atuação e segue como a única a produzir animações na região. O tamanho do talento do designer pôde ser visto em um filme que conta a história da empresa fundada há três anos. “Tenho um recado simples aos que querem empreender e que, como eu, enfrentam resistências: sonhe alto, trabalhe duro e jamais desista”.

 

Poder do verbo

A jornalista Rejane Martins Pires é uma inspiração a uma nova geração de profissionais de Cascavel e da região. Com um texto apurado, envolvente e criativo, ela consegue resistir à avassaladora concorrência imposta pelas novas mídias. Natural de uma cidade pequena e com veia rural, Rejane tinha sonho de ser jornalista e de poder ajudar a transformar o mundo pelo poder das palavras. Com esse propósito, há 11 anos ela e outro jornalista criaram a Aldeia, revista impressa especializada em contar a rica história de pessoas que fazem diferença nos ambientes que frequentam.

Como todo projeto precisa de dinheiro, Rejane se viu obrigada a aprender conceitos além daqueles dos quais tanto aprecia. Para isso, precisou de coragem, trabalho, paciência, inovação, humildade, boas parcerias e planejamento. “Existimos para conectar pessoas por meio das suas experiências”. A qualidade do conteúdo e a especialização fazem da Aldeia um ponto de resistência dos impressos diante da avalanche digital. As reportagens também podem ser lidas em mídia eletrônica e recentemente a publicação foi incorporada ao GoRead, plataforma da revista Veja com mais de 200 mil assinantes. Se depender da determinação de Rejane, a Aldeia seguirá por muito tempo criando vínculos por meio da fascinação.

 

Fusão

A insistente solicitação de alguns de seus clientes fez com Vanderlei Kichel desse uma guinada nos seus negócios e na forma de geri-los. Empresário da área de Tecnologia da Informação e CEO da SetaDigital, Kichel percebeu que, para entender a demanda do seu público, precisaria conhecer melhor a realidade do mercado físico. Assim, montou uma loja de calçados que funciona como uma espécie de laboratório, onde tudo é minimamente observado, estudado e aprendido. Juntando as dúvidas dos clientes, ele criou uma ferramenta que permite desenvolver soluções que fazem da empresa que comanda um sucesso nacional.

Com 80 colaboradores, a SetaDigital e a Sapati (empresa/laboratório), atendem 1,5 mil empresas no País. Em meio a um mundo de tantas possibilidades, Kichel percebeu que é importante estar e frequentar todos os ambientes para ser facilmente encontrado pelo cliente. “Não é possível estar apenas nas plataformas digitais ou então somente ter uma empresa física. É fundamental fundir o melhor desses dois mundos”, diz o empresário, que mesmo em um ano de crise e de incertezas como tem sido 2018 projeta fechar o atual exercício com aumento de faturamento na ordem de 30%. Depois da apresentação dos cases, o empresário Jadson Siqueira foi moderador de um talk-show com os três convidados.

 

Legenda: Cerca de 200 pessoas participaram do 4º Fórum do Empreender da Acic. Jadson conduziu talk-show

 

Crédito: Assessoria

 

--

 

(retranca da anterior)

 

Lá aonde a concorrência é menor

 

A atualidade exige algumas posturas práticas de quem pretende seguir valorizado no mercado empreendedor e de trabalho. É hora de aprender, desaprender e reaprender disse o jornalista e mestre em administração Dalmir Sant`Anna, na palestra magna do 4º Fórum do Empreender da Acic.

A vida é feita de escolhas e o sucesso costuma aparecer com mais clareza àqueles que optam por enxergar as coisas de uma forma diferente, distante do convencional. E isso vale também para o mundo dos negócios, das vendas e do atendimento, ressaltou Dalmir, que ilustrou o conceito com uma frase do fundador da Disneylândia, Walt Disney: “Eu gosto do impossível, porque lá a concorrência é menor”.

Dalmir deu dicas sobre vendas, pré e pós-vendas e de cuidados que o empresário deve ter para tornar seu produto atrativo e desejável.  A organização do 4º Fórum do Empreender foi do Programa Empreender, Sebrae, Acic e Sicredi. A Associação Comercial e Industrial de Cascavel é pioneira no Estado a apostar na metodologia de fazer de concorrentes parceiros para o fortalecimento de empresas e de suas cadeias econômicas. Atualmente, o programa é coordenado por Dulce Raggazon e conta com a participação de dez colaboradores.