NOTÍCIAS

< VOLTAR

Fórum debate aspectos legais e logística reversa

Quinta, 09 Agosto 2018 11:32

A logística reversa, o impacto dela no cotidiano das empresas e das comunidades e a adoção de atitudes e hábitos responsáveis para a preservação do meio ambiente. Esse foi um dos aspectos centrais debatidos no 1º Fórum da Câmara Técnica de Meio Ambiente, realizado na manhã desta quinta-feira na Associação Comercial e Industrial de Cascavel.

O industrial Carlos Strzaulskowski, coordenador da Câmara Técnica de Meio Ambiente, falou da necessidade de, gradualmente, um número maior de empresas e de pessoas de se integrar aos conceitos da logística reversa. “Todos devemos entender mais sobre o uso dos recursos naturais e de como as empresas, de forma preventiva e responsável, entendam e pratiquem o rege a legislação ambiental”.

O engenheiro ambiental e de segurança no trabalho pela UFPR, Mitsuyoshi Tanabe, informou sobre o que é, a importância, os critérios e os benefícios da logística reversa. A mudança, que começa pelas pessoas na empresa, ocorre a partir da criação de uma cultura que deve envolver todos em um detalhado processo de agir de forma ambientalmente responsável. O fator de retorno de receita ainda é bastante considerado para o êxito de programas de logística reversa, mas aos poucos a compreensão do todo estimula resultados cada vez melhores.

Tanabe deu detalhes da Política Nacional de Resíduos Sólidos, em vigência desde 2010, que dá definições da adequada destinação de materiais. Dentro dos conceitos da logística, há aspectos associados à questão da geração desnecessária, compactação, reutilização, tratamento e disposição final ambientalmente correta. Alguns desafios, devido à sua dimensão, contribuem para aperfeiçoar a aplicação prática da legislação, principalmente quanto às áreas de agrotóxicos, pilhas e baterias, lâmpadas e produtos eletro-eletrônicos.

Um dos pontos mais relevantes da discussão ambiental e da relação do meio com as empresas está na responsabilidade compartilhada, conforme Mitsuyoshi Tanabe. “Todos devemos e precisamos focar em hábitos e atitudes de proteção, uso racional de recursos e produção eficiente de itens para consumo”. O engenheiro citou ainda sobre aspectos da Lei de Crimes Ambientais, como de lançar resíduos sólidos ou rejeitos in natura a céu aberto e de não manter informações atualizadas e disponíveis quanto à respectiva legislação. Os inscritos receberam informações também sobre tipos e o que é licenciamento ambiental.

Há inúmeros benefícios da adoção prática de uma logística reversa melhor, como otimização da frota de veículos, redução da poluição, diminuição de custos, melhorias no trânsito e queda percentual no uso de recursos e ativos utilizados no transporte e movimentação de cargas. E ainda: a qualidade ambiental possibilita acesso a financiamentos, a receber novos investimentos, a contar com marketing positivo, a participar de licitações e a ampliar a sua competitividade.

Legenda: Fórum contou com a presença de empresários, técnicos da área ambiental e acadêmicos


 

Legenda: O coordenador e vice da Câmara Técnica de Meio Ambiente, Carlos Strzaulskowski e Átila Saraiva de Rezende, agradecem a participação do engenheiro Tanabe no evento

 

Crédito: Assessoria